sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

Cantar = Rezar 2 X

"Cantar é rezar duas vezes" dizia Santo Agostinho.
Ele reconhecia no canto, uma ajuda adicional à oração.

Não há nada que nos conduza mais à comunhão com o Deus vivo, do que cantar. O canto prolonga-se e permanece no silêncio do coração, mesmo quando ficamos sós. Logo, cantar aproxima-nos mais de Deus e ajuda à intimidade com Ele. O canto torna-se um elemento que ajuda à interiorização, ao louvor e à abertura ao Espírito.

Cantar pode equilibrar-nos, dando-nos alegria quando estamos tristes, ou serenidade quando estamos agitados. No grupo são cantos de Louvor, evocação do Espírito Santo, adoração, acção de graças, leitura da Sagrada Escritura, Maria, intercessão, enfim, para todos os momentos de oração existem cânticos específicos.

Ao cantar devemos ter em atenção duas características especiais. A primeira é a linguagem gestual onde nos entregamos, não só em voz, ou em espírito, mas também em corpo, manifestando, com expressões várias, gestos, palmas, etc, os nossos sentimentos.
A outra característica é entoar o canto, com uma voz calma e suave, interiorizando o que se canta.

Com tudo isto Arcanjo devemos pensar que apesar de nem todos nascerem com o dom de cantar (ter uma voz, dita, afinada), todos devemos fazê-lo, pois cantar aproxima-nos de Deus, e ajuda-nos a estar próximo Dele. Se cantarmos com fé, elevando o nosso espírito, as palavras que saem da nossa boca chegam a Deus.


Pois se assim não for, de que serve cantar bem se for apenas para exibição? E não para estar ao serviço de Deus?

Sem comentários: